Monday, May 08, 2006

Dicionário de Bandas de Guimarães

Para começar esta série de artigos, lembrámo-nos de elaborar um pequeno rol de bandas e projectos musicais que tiveram origem ou sede no Concelho de Guimarães. Os meus agradecimentos vão, desde já, para todas as pessoas que contribuíram com informações para esta pesquisa.
Esta lista peca por não ser completa, uma vez que a memória tende a atraiçoar-nos ou desconhecemos, pura e simplesmente, a existência de vários grupos que por cá tenham surgido. Por tal facto, pedimos desculpa aos que não virem aqui o seu nome e agradecemos, desde já, todas as informações ou registos que nos possam enviar, com vista a tornar esta listagem o mais completa possível.
Paralelamente, aproveitamos para dizer que estamos receptivos a maquetas, gravações promocionais, gravações de ensaios ou ao vivo, de todas as bandas que quiserem para aqui as enviar. A seu tempo, encontrarão o seu nome nestas páginas. Obrigado!

Alliallatas: Banda Pop assumida, com um som cristalino onde pontilhava uma guitarra braguesa, mas de tendências Indie. Embora, nos inícios, tivessem um som um pouco leve, foram-no desenvolvendo e tornando-o mais sério. Gravaram uma maqueta e contribuíram, com dois temas, para a compilação alemã "Breeze 4" (editada pela Viwit Label), tendo, ainda, entrado em estúdio para gravar outro tema para uma colectânea da Underground Records, mas que nunca chegou a ser editada. Há, também, um registo ao vivo. Foram uma das bandas participantes do terceiro Movimento Jovem (MJ).
Alma Picada: Projecto com sonoridade Pós-Punk vincada, com contornos góticos, actuou no mítico MJ I. Não conheço nenhum registo.
Amorak: Praticantes de Black Metal, têm duas maquetas gravadas.
Anomeos: Banda cujas referências se podem procurar nuns U2 dos inícios, bem como em bandas do eixo Manchester/Liverpool e no Pós-Punk, gravaram um ensaio e editaram uma maqueta apenas (cuja distribuição chegou à Alemanha, via Urban Records). Além de terem participado no primeiro MJ, foram a única banda de Guimarães a participar no concurso de Música Moderna Portuguesa organizado pelo já lendário Rock Rendez-Vous (RRV).
Ant: Projecto de sonoridade Lounge/Easy Listening, ganharam o Prémio Maquetas do jornal "Blitz" em 1998 e participaram no festival de Paredes de Coura de 1999.
Ar'Roto: Som nitidamente Pós-Punk, com algumas pinceladas góticas, abriram um dos primeiros, e dos mais marcantes, concertos rock de Guimarães, tocando na primeira parte dos Xutos & Pontapés. Não conheço nenhum registo.
At Twilight: Som denso, obscuro e claustrofóbico, próximo do Gótico dos inícios dos anos 80. Não gravaram nenhum registo.
Banda de Café: Sonoridade que segue a senda de uns Rage Against the Machine. Não tenho conhecimento de qualquer registo.
Barca Do inferno: Unindo um Pop/Rock de excelente veia com sonoridades tradicionais e, por vezes, algum neo-classicismo e neo-medievalismo, editaram, pelo menos, uma maqueta e contribuíram com um tema para a compilação "High Radiation" (da Independent Records), havendo, ainda, um registo ao vivo. Participaram, também, na terceira edição do MJ.
Bergen-Belsen: Som denso e obscuro, de veia Pós-Punk e com algumas dissonâncias Noise. Têm, pelo menos, um tema editado na compilação "Garagem" (editada pela Garagem).
Bino Show & Os Rockers Celestiais: Grupo de Rock'n'Roll e Blues. Não lhes conheço nenhum registo.
Bionic Cells: Projecto na linha do Trance. Não conheço qualquer registo.
Os Bispos: Sonoridade de cariz Pós-Punk. Não conheço nenhum registo.
Black Saphir: Na linha do Power-Metal, têm gravada uma maqueta.
Blasting Oil: Sonoridade pós-Nirvana muito vincada mas que procurava seguir um caminho próprio. Não conheço nenhum registo.
Blindfold: Sonoridade na linha do Nu-Metal. Têm, pelo menos, uma demo gravada.
Bloody Tears: Praticantes de Melodic Black-Metal, têm gravado um CD-single.
Blue Orange Juice: Fortemente influenciados pelos Sonic Youth e Pavement, no início, começaram, depois, a trilhar caminhos mais próprios. Participaram, pelo menos, em duas compilações ("Garagem" e "Noise Sessions", ambas editadas pela Garagem), além de terem editado um 7'' EP e uma cassete promo para as rádios (ambas edições também a cargo da Garagem).
Bordel Corrosivo: Praticando um som que eles definiam como sendo «Arcaico-Industrial», estavam, na verdade, mais próximos, isso sim, do Gótico da primeira metade dos anos 80. Chegaram a gravar um tema de um ensaio.
Cabaret Dell'Arte: Centrando-se no Pós-Punk, a sonoridade percorria, também, ambientes mais intimistas. Não conheço nenhum registo.
Carpe Diem: Praticavam uma sonoridade Pop/Rock, com elementos de electrónica influenciados pelos Soft Cell. Não conheço nenhum registo.
Cio Soon: A sonoridade desta banda unia matrizes electrónicas com guitarras distorcidas. Além algumas demos e de temas em várias compilações ("Garagem" e "Noise Sessions"), chegaram a gravar um CD-single para a Independent Records.
Clockwork: Com elementos de Guimarães e da Póvoa de Varzim, esta banda começou por ter uma sonoridade mais ligada ao Noise-Pop para, depois, evoluírem para um som mais psicadélico, às vezes muito próximo dos Spacemen 3. Participaram em várias compilações (pelo menos na "Garagem" e "Cais do Rock" - esta última editada pela pela LowFly Records), além de terem editado um 7'' (também pela LowFly), dois CD's (em edição de autor) e uma cassete de raridades (pela Chrome Yellow).
Complexus Narcisus: Projecto eminentemente acústico, com proximidades sonoras aos Madredeus ou Frei Fado d'El Rei, tinham, também, algumas influências de Música Tradicional Portuguesa e Irlandesa. Nunca editaram.
Con'Sumo: Embora fossem um grupo maioritariamente centrado em tocar versões, parece que, também, tinham alguns originais de cariz Pop/Rock. Não conheço nenhum registo.
Daemogorgan: praticantes de uma sonoridade Black-Metal purista, têm, pelo menos, uma demo gravada.
Da Firma: Projecto de Hip-Hop. Não conheço nenhum registo.
Dalila Noire: Projecto muito influenciado pelo som dito 4AD, também tinham alguns traços de Dark Folk. Nunca editaram.
Dark Funeral: Praticavam uma sonoridade Black/Death Metal, embora ainda muito embrionária. Mais tarde alteraram o nome. Não lhes conheço qualquer registo.
The Darkness: Projecto que praticava um Rock de forte veia gótica. Não conheço nenhum registo deles.
Death By Drowning: Super-grupo constituído por músicos de várias bandas vimaranenses, apenas tocavam versões de clássicos de pop e rock dos 80's e 90's, não tendo gravado nenhum registo.
The Death Of Me: Projecto acústico na linha do Dark Folk. Não editaram nenhuma maqueta mas há algumas gravações de ensaios.
Defuntos: Mais um projecto com sonoridade Pós-Punk marcada, também foi participante do primeiro MJ. Desconheço qualquer registo.
Delta Works: Praticantes de uma sonoridade entre os Radiohead e os Sigur Rós, ainda não gravaram nenhum registo.
Demófilos: Sonoridade entre o Indie-Pop e o Pós-Punk. Há notícias de terem gravado uma maqueta.
Ego Mysterium: Projecto cuja sonoridade se influenciava no chamado som 4AD. Chegaram a gravar um ensaio.
Eu: Banda de Indie-Pop com forte veia Rock, por vezes com rasgos pós-Grunge. Têm editado um CD-single (via Bigfoot Records).
Ex-Nós: Projecto de cariz Punk agressivo. Nunca gravaram.
Flood: Grupo muito influenciado pelo som de Seattle/Grunge, editaram, pelo menos, uma maqueta.
As Flores da Náusea: Percorriam caminhos entre o Pós-Punk e o Gótico. Editaram uma maqueta e foram incluídos na compilação "T Secret Sessions", editada pelo fanzine Peresgotika. Há, também, um registo ao vivo e um ensaio gravados.
Fora de Mão: Banda de Rock'n'Roll, não tem nenhum registo gravado.
Fragmentos: Grupo Pop, com influências Rock e traços Indie, que chegou a ter bastante sucesso local em meados da década de 90. Se não estou em erro, gravaram três cd's.
Frozen Cruelty: Banda de Black-Metal, têm alguns temas ao vivo registados.
Genuyn: Banda praticante de um Pop/Rock de cariz Indie, com algumas pinceladas Grunge. Têm gravado um CD-single, editado a expensas próprias.
Gnomen: Projecto que funde Música tradicional com algum Jazz. Têm uma demo gravada.
God Skin: Vindos das cinzas do Grunge, aproximaram-se bastante do som dos Therapy?. Participaram com um tema na compilação "Garagem".
Gods' Last Wish: Na linha de um Gótico e Wave muito obscuros e densos, tinham uma sonoridade muito hermética e claustrofóbica. Editaram apenas uma maqueta, havendo, também, excertos de um concerto.
Gothicum Repherae: Sonoridade Pós-Punk, com algumas piscadelas ao Rock Gótico, é mais um dos projectos que participou no primeiro MJ. Desconheço qualquer registo.
Insanidade Divina: Fase embrionária dos Demófilos, praticando uma sonoridade mais incipiente. Não conheço nenhum registo.
In Vein: Projecto de Heavy Metal tradicional, com alguns traços de Thrash. Ainda não gravaram nenhum registo.
Joana Dark: Por entre o Pós-Punk, o Gótico e o Noise, tinham um som denso e enérgico, mas sempre de negro tingido. Uma gravação ao vivo e temas de ensaios são os únicos registos existentes.
Kali Ashti: Fundindo electrónicas ora ambientais, ora na linha da Electronic Body Music (EBM), com duas guitarras melódicas que se complementarizam, e utilizando, também, a guitarra portuguesa, criam uma sonoridade única no panorama Gótico/Wave. Rezam as crónicas que estará para breve a gravação de um primeiro trabalho.
Kamikaze: Com uma sonoridade entre o Punk e o Pós-Punk, há notícias de uma gravação, mas desconheço-a.
Kormoss: Banda que praticava um Black-Metal da melhor cepa, gravaram, pelo menos, três demos e um registo ao vivo.
Let The Jam Roll: Banda que funde o Rock com elementos de cariz jazzístico. Têm, pelo menos, uma demo.
Locus Horrendus: Grupo com uma sonoridade na veia do Black-Metal. Não conheço nenhum registo
L. S. D. (Louvado Seja Deus): Projecto que praticava um Punk primário. Nunca gravaram.
Mantra: Segundo as informações que nos chegaram, são praticantes de uma sonoridade de cariz Funk/Rock. Não conheço nenhum registo.
Mata Qu'é Bicho: Misturando sonoridades na linha dos The Cure com outras próximas dos Iron Maiden, participaram no segundo MJ. Não conheço nenhum registo deles.
Merdicidas: Banda nitidamente influenciada pelos Peste & Sida e Xutos & Pontapés, actuaram no segundo MJ. Não conheço registos por eles gravados.
Milkmen: Sonoridades Pós-Grunge, com algumas características Low-Fi, editaram uma maqueta.
Mittagessen Sturm: Projecto com uma sonoridade Industrial da velha guarda, com uma forte veia experimentalista. Não conheço nenhum registo.
Moribundos: Rockabilly na linha de uns The Cramps, mas com algo de Psychobilly à mistura. Também foram participantes do primeiro MJ. Não tenho conhecimento de qualquer registo.
Mr. Roype & Seus Drunfes: Praticavam uma sonoridade Punk da velha escola. Não chegaram a gravar registos.
Neo-Symphonyx: Projecto de fusão entre a música Clássica (mormente Mozart ou Strauss) e o Rock. Têm, pelo menos, uma demo gravada.
Nightmyheaven: Praticantes de um Metal melódico, têm já gravado, embora a expensas próprias, um CD-single.
Nox Obscura: Banda de Black Metal. Não conheço nenhum registo.
Numb Skull: Situados entre o Grunge e o Nu-Metal, esta banda já tem duas demos gravadas.
Oktober Black: Projecto electro-acústico (no sentido em que usa os dois tipos de instrumentos), apresenta uma sonoridade próxima do Dark Folk, com algum experimentalismo, recorrendo também à Música Tradicional, ao Industrial e ao Pop Etéreo/Wave. Conta com duas demos editadas (a segunda delas destinada, principalmente, à divulgação internacional), bem como com dois temas na compilação "The Nemeth" (pela Reaping Horde).
Opius: Banda que praticava um Pop/Rock com um certo carácter interventivo. Desconheço qualquer gravação.
Outubro Negro: Projecto predominantemente acústico, com uma sonoridade entre o som dito 4AD, os Madredeus e o Dark Folk. Não editaram qualquer maqueta, mas há algumas gravações de ensaios.
Phast & Source: Projecto de um Drum & Bass agressivo, editou um CD promo.
Phast Mike: Outro nome para o projecto antes referido. Drum & Bass agressivo mas com algumas reminiscências de EBM, editou, pelo menos, um 10'' (pela Garagem).
Projecto Anónimo: Banda praticante de uma sonoridade que descendia, directamente, do Rock Progressivo/Sinfónico. Nunca chegaram a gravar.
Queputadebanda: Sonoridade entre o Grunge e o Nu-Metal, mas com a presença de electrónicas. Não tenho conhecimento de qualquer registo.
Quid Juris: Sonoridade que se poderia caracterizar como Indie-Pop. Desconheço qualquer registo.
Quid Novis: Com uma sonoridade Pop/Rock, participaram no segundo MJ. Desconheço qualquer registo.
Ratos Negros: Sonoridade embrionária e incipiente dos futuros Gothicum Repherae.
Restos Mortais de Isabel: Gótico depressivo e metronómico, com um som de baixo poderoso, participaram no segundo MJ. Gravaram duas maquetas, uma das quais teve edição na Alemanha, via Urban Records.
Ritual Profano: Com um som minimalista, inspirado no Pós-Punk, participaram no segundo MJ. Só lhes conheço uma gravação vídeo da sua actuação no referido evento.
Rock Poets: Praticam uma sonoridade entre o Rock e o Punk, tendo no activo a gravação de um CD-promo.
Rupptura: Banda essencialmente dedicada a versões de clássicos de Hard Rock e Heavy Metal. Não conheço nenhum registo.
Samantha: Banda de Thrash-Metal, não chegaram a gravar demos.
Scurf: com uma sonoridade Grunge, gravaram uma maqueta.
Seelen Mess: Banda que sucedeu aos Winter Cry, seguindo a linha do Black/Doom/Death Metal.
Sem Nome: Entre o Rock Alternativo americano e o Noise, com algum Punk à mistura, nunca chegaram a gravar registos.
Seraphitos: Banda de Melodic Black Metal, têm um ensaio gravado.
Ser Luso: Projecto que aliava a estética de um David Sylvian ao intimismo dos Felt, passando pela frescura dos The Go-Betweens e pelas ambiencias do som dito 4AD. Nunca gravaram.
Shattered Dreams: Banda de Gothic-Metal, gravaram apenas alguns ensaios.
Snuffle: Sonoridade na linha de uns Deftones, gravaram uma demo.
Spiral Rain Dance: Sonoridade Pós-Punk bastante melódica e extremamente nostálgica. Não gravaram nenhum registo.
Square: Banda de Power-Thrash, gravaram uma demo.
Stuprum Dei: Praticam uma sonoridade entre o Death e o Black Metal. Não tenho conhecimento de qualquer registo.
Subcultura: Sonoridade Pós-Grunge vincada mas evoluindo para além desses limites. Participaram com dois temas na compilação "1º Festival de Música Komplexus" (editada pela organização), não lhes conhecendo outro qualquer registo.
Subúrbios: Mais um projecto com sonoridade Pós-Punk, teve a peculiaridade de ser a banda com os elementos mais novos de Guimarães. Gravaram uma maqueta e actuaram no segundo MJ, havendo, também, um registo ao vivo.
The SymphOnyx: A sua sonoridade compreende elementos que vão desde o Gótico ao Rock Sinfónico, passando por um Heavy Metal mais tradicional, ao qual se juntam elementos orquestrais de cariz clássico. Têm editados, a expensas próprias, dois CD's-EP's e um CD-single e um álbum (estes pela Ethereal)
Tenebre & Delirio: Projecto que assentava na utilização de baixo distorcido, voz e caixa de ritmos/bateria, produzindo uma sonoridade negra mas rica de texturas, editou uma demo e teve um tema incluído na compilação "T Secret Sessions". Um ensaio e um concerto ao vivo também circulam por aí.
This Art: Banda de Black-Metal. Não conheço nenhum registo.
Träume: Projecto dividido entre Leiria e Guimarães, possuem uma sonoridade situada algures entre o Dark Folk, o Neo-Clássico e o Industrial/Experimental, criando paisagens apocalípticas e desoladas. Têm editado um CD promo e uma demo.
Uoquesomtem: Banda maioritariamente de versões, têm, que eu saiba, um original, sendo este de uma sonoridade melancólica e delicada. Não conheço nenhum registo.
Uzi: Inicialmente com uma sonoridade Pop/Rock um pouco mainstream, evoluíram para um som mais sofisticado e cuidado. Além de duas maquetas gravadas, há a registar a inclusão de dois temas na compilação "1º Festival de Música Komplexus" e uma gravação ao vivo.
Vampiros Sangrentos: Sonoridade Punk da velha escola, mas bastante primária. Não conheço nenhum registo.
Vício Oculto: Som enraizado no Pós-Punk, com algum experimentalismo e recurso a percussões industriais. Não conheço nenhum registo.
Virtuais: Abraçavam um Pop/Rock que, por vezes, nos fazia lembrar as sonoridades das bandas que participavam no saudoso RRV. Que eu saiba, têm, apenas, um tema editado na compilação "Rock In Bracara" (editada pela R. U. M.).
Wanted: Banda de Thrash Metal, gravaram uma demo.
Winter Cry: Mais um projecto de Black/Doom/Death Metal. Têm gravada uma demo.

P. S.: Pedimos desculpas às bandas aqui presentes pelos termos em que descrevemos a sua sonoridade, mas o objectivo é dar uma ideia do tipo de som que possuem, por forma a dar a conhece-las aos seus conterrâneos e, por tal, termos ou referências generalistas são os mais fáceis de empregar para as descrever. Claro que agradecemos as necessárias correcções.

8 Comments:

Blogger RockPoet said...

És o maior,homem.Ainda te lembras dos Samantha. Grande saudosismo ao ler muitas dessas bandas.Abraço.

1:49 PM  
Blogger darkangelizer said...

Oi, gostava de contactar o webmaster deste blog para troca de informações, tenho material de bandas que já não estão no activo, fica aki o meu contacto:

drkanglzr@gmail.com

7:07 PM  
Blogger Leopat Magnus said...

Hello, só uma pequena correção, escreve-se Black Sapphyre.
Bom trabalho.

2:01 PM  
Blogger filipe said...

Os suburbios foram relembrados...grande banda de fins dos anos 80 e inicios de 90,realmente eram muito novos,mas muito talentosos e diferente de tudo o que se fazia na altura....ainda fizeram mais de 4 concertos....mas acabou...tem que haver mais movementos jovens.

ass.LONDONBOY74

11:43 AM  
Blogger Pedro Pitada said...

Falta-te aí a banda "Sotão Rock Records" - Solicita informações ao Rodrigo jordão no CAR

9:58 AM  
Blogger Pedro Pitada said...

Falta-te aí a banda "Sotão Rock Records" - Solicita informações ao Rodrigo jordão no CAR

9:59 AM  
Blogger CPixel said...

Gut! :)

11:02 PM  
Blogger MARTELO/RIDER said...

Mittagessen Sturm > nunca gravaram nada, foi por assim dizer um projecto de altura que 6 a 11 pessoas faziam com as regras do espirito que se alimentava nas doses experimentais musicais. Foi pagina inteira no JN > com os clockwork num concerto no Milenario.

1:56 AM  

Post a Comment

<< Home